Contato

herbertlagocastelobranco@gmail.com
Facebook Herbert Lago

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

REFORMA POLÍTICA


O imbróglio que envolve a reforma política assimila-se a um cabo de guerra: de um lado os guardiões e patrões do poder não admitem desgrudar das tetas nem tampouco igualarem-se às pessoas comuns, reféns de suas vontades; do outro o povo na busca por uma proximidade nas decisões governamentais. Se os pseudônimos do poder não cedem – e de forma convencional não cederão – resta uma ação contundente da sociedade organizada. Não vai longe a ação dos cara pintadas na cassação de um presidente, bem como da Lei da Ficha Limpa imposta pelo povo brasileiro. O fato é que, enquanto perdurar essa pendenga, sucedem cotidianamente as desordens administrativas e as impunidades, (caso mais recente da absolvição da Deputada Jaqueline Roriz) com sérias consequências ao erário, refletindo diretamente em equipamentos públicos como educação, saúde e segurança, principalmente. O Brasil, país emergente, com reais possibilidades de ingressar no Primeiro Mundo, não pode continuar sendo uma faculdade de corrupção.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

COEFICIENTE ELEITORAL PARA VEREADOR DE CHAPADINHA FICARÁ ABAIXO DE 5 MIL VOTOS

COM AS 5 NOVAS VAGAS NA CÂMARA MUNICIPAL, O TOTAL MÍNIMO DE VOTOS VÁLIDOS PARA ELEGER UM VEREADOR DEVE CAIR NAS ELEIÇÕES DO ANO QUE VEM.


O município de Chapadinha terá, no pleito de 2012, um coeficiente eleitoral abaixo dos 5 mil votos válidos por causa do aumento de 5 novas vagas na Câmara de Vereadores. Atualmente Chapadinha tem um quantitativo de cerca de 50 mil eleitores.
O coeficiente eleitoral é o resultado da divisão dos votos válidos pelo número de vagas na Câmara Municipal. Atualmente temos um coeficiente eleitoral que fica na casa de 5 mil votos por partido ou coligação. A partir desse patamar, é eleito um vereador.
A Alteração no número de vagas na Câmara de Chapadinha se deu em decorrência da Proposta de Emenda à Constituição Federal número 58, aprovada pelo Congresso Nacional em 2009, que estabeleceu novas faixas de representatividade, conforme quantitativo populacional de cada município no país. Como exemplo, Chapadinha se encontra na faixa de 50 mil a 80 mil habitantes, o que acresceu em mais 5 novas vagas, valendo a partir da próxima legislatura (1º de janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2016).
Com a aprovação da emenda constitucional nº 58 passa a valer o que determina a Carta Magna do país que é soberana.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

MINHA TERRA TEM PALMEIRAS, SABIÁS E MUITA POBREZA


No exílio, Gonçalves Dias, com saudade manifestou apreço à sua terra querida: “Minha terra tem palmeiras, Onde canta o sabiá(...)”. Se ele vivesse hoje, certamente diria com tristeza diante de um Maranhão atrasado: minha terra tem palmeiras, mas não cantam mais os sabiás.
  • Que tristeza ver a considerada Atenas Brasileira, conspurcada de políticos oportunistas, mal-intencionados, de interesses solertes, só querendo lavar vantagem em tudo, tendo como comandante-mor o “moribundo” de fogo, José Sarney, montado no trono com a sua família e seus apaniguados, administrando fortunas forjada à custa de vida política duvidosa, enquanto temos um Maranhão quebrado, delapidado, saqueado, corrupto, em pleno século XXI amarga a desventura de continuar sendo considerado apenas um índice negativo e ilustrativo das estatísticas sociais do subdesenvolvimento e da pobreza

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

CHAPADINHA MALTRATADA


Resolvi andar pelas ruas de Chapadinha, terra de Deus, cidade de Jesus Cristo, como sempre a chamo e nunca imaginei que as ruas e avenidas da nossa cidade tivessem cobertura asfáltica de tão péssima qualidade. O revestimento é tão fino que não cobre as pedras do calçamento, cheio de remendos que fazem o carro trepidar mais do que numa estrada de terra da zona rural. Nas ruas de calçamento é a mesma coisa, buraco que não acaba mais. Aliás, na região central não se salva uma rua que não tenha buraco. É só ter olhos para observar. Há buracos e remendos malfeitos por todo lado. Se na região central da cidade é assim, imaginem na periferia. O problema não é só com o asfalto e com os buracos nos calçamentos, as praças estão abandonadas, servindo de pasto para cavalos, a calçada da praça da bíblia está em péssimas condições com irregularidades no piso dificultando o trânsito das pessoas. As áreas verdes e de jardins estão maltratadas. Em muitos locais não há nem jardins, mas vemos entulhos e lixos. E assim vivemos na Chapada das Mulatas, princesa do baixo parnaíba. Sem falar na assistência médica, que apesar de receber premio por excelência, não consegue sair da UTI. Enquanto isso, pão e circo!