Contato

herbertlagocastelobranco@gmail.com
Facebook Herbert Lago

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

EXECUTIVA DO PT DE CHAPADINHA DECIDIU POR UNANIMIDADE TER CANDIDATURA PRÓPRIA PARA PREFEITO.




Na última reunião do Diretório Municipal do PT de Chapadinha, ocorrida no dia 23 de fevereiro, a Executiva do Partido dos Trabalhadores decidiu por unanimidade ter candidatura própria para prefeito de Chapadinha, para concorrer às eleições municipais em outubro de 2012 e ratificou a filiação da Dra Doracy, ao tempo em que ela foi convidada a ser a pré-candidata do PT para representar uma proposta de modelo de reconstrução do Município de Chapadinha de atuação ética que irá aprovar ideias que melhorem a condição de vida das pessoas, que contribua para o desenvolvimento de Chapadinha e para combater essa política viciada e corrupta que se encastelou em nossa cidade com coragem de ousar, mas com a consciência de que para chegarmos a esse objetivo temos que andar de mãos dadas e buscar novos aliados.
PT E PCdoB REALIZAM PLENÁRIA COM A PRESENÇA DA Dra. DORACY
No dia seguinte, 24 de fevereiro, realizou-se uma plenária organizada pelo Diretório do PT e do PCdoB no auditório do CRESU, com a participação de membros do Diretório do PSOL e Dirigentes Sindicais, aberta aos militantes filiados ao PT e PCdoB com a presença da Dra Doracy.
Na abertura, Paiva (Presidente do Diretório Municipal do PT de Chapadinha) saudou a todos os presentes à plenária e anunciou a decisão do Diretório Municipal Petista pela candidatura própria, destacando o amadurecimento do PT de Chapadinha e ressaltando que a entrada da Dra Doracy na cena política de Chapadinha quebra a polarização, unifica o Partido dos Trabalhadores e agrega vários seguimentos da sociedade Chapadinhense, mas que para viabilizar uma candidatura própria tem que estar aberto ao diálogo e buscar novos aliados como o PSB e PDT.
Em seu pronunciamento a Dra Doracy disse estar muito feliz pela aceitação de sua filiação e que a hora em que determinou se aposentar (em 9 de janeiro) para enfrentar esse grande desafio da política partidária e aceitar o convite do PT para entrar nesse projeto, foi com a disposição de fazer acontecer de forma diferente. Que é preciso a gente ter a consciência do que é administração pública, porque política é coisa séria. Por isso ela aceitou “botar o pé na lama e a cara na rua” para defender um projeto político em sintonia com os interesses e os anseios do povo de Chapadinha. Os que não querem sua candidatura é por questões óbvias: por ela não comungar com a corrupção, com desvios de recursos públicos e porque não vai colocar a sujeira para debaixo do tapete. Dra Doracy ressaltou ainda que a sua candidatura não é um projeto pessoal, é um projeto partidário, de grupo de pessoas que acreditam que a oxigenação de ideias fortalece a democracia e torna a sociedade mais igualitária.
Avante pois, brava Dra Doracy! Você como prefeita Chapadinha vai ficar joia!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

O TERRORISMO VIRTUAL E O VALE TUDO DA BLOGOSFERA CHAPADINHENSE





A internet é uma teia sedutora, é verdade. Pode ser usada de várias formas, a serviço de qualquer proposito. Mas será que um dia conseguiremos limitar tal poder? Ou será que os efeitos nocivos só poderão ser neutralizados com os benefícios da tecnologia?
Já estamos cientes das facilidades e dos estragos imensuráveis que a rede mundial pode trazer, mas acredito que tudo isso ainda é muito pouco diante do que estar por vir.
Ao longo dos últimos meses, tivemos motivos suficientes pra imaginar que a importância da internet ainda é subdimensionada. Um exemplo: em Chapadinha o terrorismo virtual anda insuportável (corrente de e-mail's, fórum de debates no facebook e a proliferação dos blog's) com comentário e matérias ofensivas a políticos, blogueiros, pastor, padre e futuros candidatos, levou o debate para uma espantosa discussão dogmática e sem propósito. Pedofilia, homo-sexualismo, enriquecimento ilícito, uso de laranjas, desvio de recursos públicos, blogueiros vendidos e outros temas polêmicos e relevantes, não há dúvida, mas não sob o enfoque com que está se disseminando na internet. Tal como vírus, a ruidosa e antecipada campanha eleitoral virtual é perigosa a ponto de comprometer a legitimidade das escolhas. É preciso distinguir a verdade da leviandade, a opinião da informação deturpada. Pode ocorrer o paradoxo, por exemplo, de a mídia de Chapadinha expor mais intensamente pautas de escândalos públicos ou da vida privada das pessoas, gerando a impressão de que eles aumentaram, quando, na realidade, pode ter aumentado mesmo. A competição entre os veículos de comunicação de Chapadinha e os interesses econômicos e políticos subjacentes gera em contrapartida o vale tudo da blogosfera.
Sem dúvida, não há como negar o imenso avanço de um planeta conectado, mas também não se pode esquecer de que um mal disseminado também pode ter alcance e prejuízo inimagináveis.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

DORACY PODE SER A OPÇÃO PARA O ABREVIAMENTO DA RENOVAÇÃO POLÍTICA DE CHAPADINHA






Em Chapadinha, a vida política tem uma característica peculiar: as lideranças políticas não se renovam há 24 anos. Em qualquer eleição somente Isaías e Magno se escalam para disputar.
Se não fosse a lei da ficha limpa, por pouco não teriamos mais uma repetição da presença de Isaías e Magno nas opções oferecidas ao eleitor.
É nesse contexto que se deve analisar a opção do PT pela Drª Doracy como candidata da 3ª via a prefeito de Chapadinha. Pode ser que a Drª Doracy vença a eleição ou não. Para o PT, mais relevante é começar a se apresentar ao eleitorado com uma nova identidade, de um político com trajetória diferente do padrão típico do PT e de Chapadinha.
Doracy não é sindicalista na origem, é uma profissional de gestão pública. É a primeira candidata ao cargo de prefeito de Chapadinha com esse perfil. Que, sem a intervenção do partido, e a insistir na aposta é muito possível o abreviamento da renovação política de Chapadinha.
Mas atingimos hoje, como sociedade, o ápice da aplicação da “lei de Gérson”, que somente nos ensina que é melhor levar vantagem em tudo. E como quebrar essa forma de fazer política em Chapadinha? Não sei ao certo. Boa dica seria reencontrar o lugar de cada um e mantê-lo lá. No momento, sugiro uma autoanálise bem profunda para resgatar o valor de função tão nobre.